Logo Agile SchoolLogo Agile School
Logo Agile SchoolLogo Agile School
0
R$0.00 0 item

Nenhum produto no carrinho.

Inteligência artificial têm sido um dos temas mais discutidos nas redes sociais atualmente e um dos produtos mais comentados é o Chat GPT. Mas afinal, como essa tecnologia pode ajudar o trabalho do Product Owner? Essa é a pergunta que muitos têm se feito. 

Para responder essa questão, utilizamos o próprio Chat para obter insights sobre como ele pode ser usado na função. O resultado foi surpreendente, pois a ferramenta pode apoiar o Product Owner de diversas maneiras, oferecendo suporte a tarefas e responsabilidades associadas à função. 

Neste artigo, apresentaremos oito maneiras pelas quais o Chat GPT pode ser utilizado para ajudar o Product Owner na execução do seu papel.

1. Definição de Requisitos

A definição de requisitos é uma das atividades cruciais na gestão de um produto. Nesse sentido, o chat GPT pode ser uma ferramenta valiosa para auxiliar o Product Owner. Ele pode ajudar na elaboração de histórias de usuário, na definição de critérios de aceitação, bem como na comunicação com os stakeholders e a equipe de desenvolvimento.

Para ilustrar essa possibilidade, utilizamos o próprio chat GPT e solicitamos a criação de uma história de usuário para o pagamento de uma compra em um e-commerce, utilizando um cartão de crédito e adicionando os critérios de aceitação necessários para validar os dados do cartão. Para nossa surpresa, o chat GPT respondeu prontamente com uma história de usuário bem descrita e com critérios de aceitação detalhados.

Entre os critérios de aceitação apresentados, destacamos a validação do número de cartão de crédito digitado pelo usuário, verificando se ele é válido e se possui a quantidade correta de dígitos, além da verificação da data de validade e do código de segurança (CVV).

Essa demonstração evidencia que o chat GPT pode ser uma ferramenta útil para auxiliar o Product Owner na definição de requisitos de forma ágil e precisa. Com isso, é possível otimizar o tempo e aumentar a eficiência na gestão do produto, proporcionando uma experiência mais satisfatória para os usuários e agregando valor ao negócio.

2. Priorização de Backlog

A priorização do backlog é uma das tarefas mais desafiadoras para o Product Owner, pois requer uma análise cuidadosa dos requisitos e um equilíbrio entre as demandas dos stakeholders e da equipe de desenvolvimento. É nesse contexto que o chat GPT pode ser um grande aliado na tomada de decisões.

Com base em fatores como valor de negócio, riscos e dependências de esforço, a ferramenta pode ajudar a priorizar itens do backlog de forma mais eficiente. Para ilustrar isso na prática, fizemos um teste com a ferramenta, fornecendo a ela um esboço de backlog embaralhado e pedindo para que ele priorizasse os itens levando em consideração a jornada de compra.

E o resultado foi surpreendente! Com base na jornada do usuário, a inteligência artificial apresentou a seguinte priorização: página inicial do e-commerce, pesquisa de produto por categoria, seleção de itens de carrinho de compra, fechamento do carrinho de compra, dados do meio de pagamento, dados do local de entrega, envio do e-mail de confirmação de compra e, por último, a ordenação da busca de produtos.

O Chat GPT justificou sua escolha, afirmando que embora a ordenação de busca de produtos seja útil para os usuários, ela é menos crítica na jornada de compra do que as outras funcionalidades. Com isso, fica claro que ele pode ser uma ferramenta poderosa para auxiliar o Product Owner na priorização do backlog, trazendo mais objetividade e assertividade para o processo de desenvolvimento de produtos.

3. Planejamento de Sprints

O chat GPT pode, sim, ser uma ferramenta para apoiar o Product Owner no planejamento de Sprints, mas é importante lembrar que sua sugestão de distribuição de tarefas entre os membros da equipe pode não ser a melhor opção. A inteligência artificial é baseada em informações fornecidas por seres humanos, e pode haver imprecisões ou inadequações no input utilizado para treiná-la. Portanto, é essencial usar o senso crítico para avaliar as sugestões apresentadas.

Embora ele possa ser útil para definir metas e objetivos de Sprint, é importante ressaltar que a distribuição de tarefas é responsabilidade da equipe e não do Product Owner. A auto-organização da equipe é um dos princípios fundamentais do Agile e deve ser preservada. Portanto, é recomendável descartar sugestões que possam prejudicar a autonomia da equipe, avaliar criticamente o que ele ofereceu e usar esses dados com cautela.

4. Gerenciamento de Stakeholders

O chat GPT pode também ser uma ferramenta útil para o Product Owner no gerenciamento de stakeholders, fornecendo dicas e conselhos sobre como gerenciar expectativas, comunicar efetivamente e resolver conflitos.

Apesar de ser uma ferramenta básica, ela pode ser eficaz em oferecer sugestões de gerenciamento de informações e conselhos de gestão. Para ilustrar, um exemplo seria uma instrução simples dada ao chat GPT para fornecer dicas e conselhos sobre como gerenciar expectativas, comunicar efetivamente e resolver conflitos entre os stakeholders. Através dela, ele foi capaz de fornecer informações valiosas e úteis em uma variedade de tópicos de gestão de stakeholders.

5. Análise de métricas e KPI’s

Dentro da análise de métricas e KPI ‘s do projeto, ele pode ajudar a identificar métricas e equipes relevantes para acompanhar o progresso e sucesso do projeto, além de fornecer insights para melhorar o desempenho da equipe.

Durante um teste com a ferramenta, foi possível gerar dados fictícios e métricas de um e-commerce, chamado Fashion X. A inteligência artificial criou diversos exemplos de métricas bastante interessantes, o que já demonstra o valor da ferramenta.Porém, é importante salientar que para uma análise mais crítica e aprofundada dos dados, é necessário fornecer contexto e informações mais detalhadas. Na prática, os dados utilizados no projeto serão específicos e é importante compreender as métricas de forma mais ampla.

O Chat GPT consegue fazer sugestões de otimização baseado nas métricas apresentadas, mas é importante ressaltar que essas sugestões são genéricas e dependem do contexto do projeto. Cabe ao Product Owner analisar cuidadosamente essas sugestões e avaliar se elas são aplicáveis ao seu contexto.

Algumas sugestões que foram oferecidas: aumento da taxa de conversão, redução de custos, redução da taxa de devolução e aumento do engajamento em redes sociais. É importante analisar essas sugestões com cautela e realizar uma análise mais aprofundada para compreender se elas realmente são aplicáveis ao contexto do projeto.

6. Condução de reuniões

Além de ajudar na preparação de agendas, a inteligência artificial também pode fazer a sumarização de reuniões de maneira automática. Entretanto, é possível ir além e explorar a capacidade do chat GPT em sugerir pautas de agenda.

Ao testar essa habilidade, nós obtivemos sucesso na obtenção de uma boa proposta de agenda. O chat sugeriu uma pauta bem estruturada, que incluía a revisão do que foi feito na Sprint, com a participação dos desenvolvedores, e a realização da retrospectiva da Sprint, apesar de haver uma pequena confusão na colocação dessa atividade.

No geral, a dinâmica apresentada pela inteligência foi bem interessante e pode ser uma boa ajuda na preparação de reuniões eficientes. É importante lembrar, no entanto, que é sempre necessário avaliar e adaptar suas sugestões de acordo com o contexto da equipe e do projeto em questão.

7. Pesquisa e Validação

Ao inserir um contexto específico, como a criação de um app de gestão de investimentos para uma corretora de valores, é possível obter informações valiosas sobre as melhores práticas de mercado, tendências e tecnologias emergentes. Durante o exercício, o chat GPT ofereceu sugestões como design intuitivo e fácil de usar, personalização do aplicativo de acordo com o perfil do investidor, automação, segurança e gamificação.

O chat também destacou a importância da educação financeira, sugerindo que o conceito fosse integrado à plataforma. As sugestões oferecidas podem ajudar na criação de um backlog com ideias de tendências futuras. Ao levar em consideração o contexto específico, o Product Owner pode tomar decisões mais informadas e criar um produto mais atraente para seus clientes.

8. Melhoria contínua

Com a capacidade de identificar áreas de melhoria, a ferramenta pode fornecer sugestões para aprimorar a eficiência e eficácia do produto. Além disso, é possível utilizá-la para realizar comparações de benchmarking entre seu produto e os concorrentes, o que pode ajudar a entender melhor seu mercado e a identificar pontos fortes e fracos.

Por exemplo, se você tiver um produto visível no mercado, pode pedir ao chat GPT para comparar seu produto com o líder do seu segmento e destacar características relevantes do concorrente. Embora as respostas possam ser um pouco genéricas, elas ainda fornecem embasamento suficiente para guiar as análises do Product Owner. 

Conclusão

Em resumo, a substituição completa do papel do Product Owner ou de outros profissionais do conhecimento pela inteligência artificial ainda não é possível. Embora a IA possa potencializar e auxiliar em algumas tarefas, ela ainda não possui a capacidade de compreender o contexto e as nuances das necessidades do negócio, do mercado e dos usuários, além de habilidades de comunicação e negociação. 

Portanto, aqueles que devem se preocupar com a perda de empregos para a IA são aqueles cujo trabalho é apenas uma variação ou combinação do que os outros já criaram antes deles. 

A contribuição da IA é potencializar e catalisar as entregas de valor, evoluindo o papel dos profissionais do mercado e suas carreiras. Então, se você procura evoluir sua carreira como Product Owner e saber executar esse papel com êxito, inscreva-se na nossa próxima turma de Professional Scrum Product Owner Advanced.

Este treinamento oficial da Scrum.org,  é essencial para Product Owners que desejam aumentar seus conhecimentos e habilidades, com dinâmicas e práticas para o dia a dia deste papel. Garanta sua vaga na próxima turma de PSPO-A e conquiste uma certificação internacional.

Assumir novos papéis nem sempre é uma tarefa fácil, ainda mais quando chegamos em um ambiente desconhecido e que não estamos habituados. Por isso, trouxemos neste artigo cinco dicas essenciais que você, Product Owner, deve saber ao adentrar em um novo time.

Já falamos aqui sobre a função desse papel e também sobre a diferença dele para o Product Manager. Mas apenas para relembrar: o Product Owner é a pessoa responsável pelo refinamento do produto, ou seja, é alguém sempre atento às tendências de mercado e às necessidades do cliente. 

Sua função é muito relacionada ao Scrum e ao backlog de produtos, para que os desenvolvedores realizem seu trabalho e entreguem resultados de valor. Portanto, é essencial que esse papel seja bem executado, e para isso, é necessário atentar-se a certos pontos:

Mapeie seus Stakeholders

Os Stakeholders representam o conjunto de indivíduos a quem o seu produto ou projeto interessa de alguma forma, podendo ser externos ou internos à organização. Nesse contexto, falamos principalmente sobre os colaboradores, clientes, e outras pessoas que irão ser responsáveis em apoiar e desenvolver esse produto.

Portanto, mapeá-los de forma ágil é essencial! Entenda a organização da empresa em que você está inserido e a hierarquia vigente, o que pode ser feito através de um organograma dos processos, onde você é capaz de visualizar as áreas conectadas e definir quem deve ser priorizado no momento de resolver impasses do seu produto em questão.]

Compreenda o mercado do seu produto

O mercado de cada produto possui um comportamento singular, por isso, é essencial compreender em qual deles o seu projeto está inserido. Busque compreender o modelo de negócio da sua empresa, e com isso, defina o mercado-alvo (aquele que busca atingir com o lançamento do produto) e o posicionamento que diferencia seu produto dos outros que já atuam no mercado.

Além disso, faça uma lista das fontes de receitas e despesas e estabeleça uma visão compatível ao seu objetivo.

Defina as metas a serem alcançadas com o produto

Para quem não sabe pra onde vai, qualquer caminho serve. Logo,dê preferência às metas objetivas, quantitativas e com prazo. Caso a empresa já possua alguma estrutura (OKR por exemplo), faça uso das metas ou objetivos estratégicos já existentes. 

É crucial que exista esse parâmetro, pois você irá utilizá-lo como medidor de sucesso e progresso.

Crie um bom Product Backlog

Baseado nas metas estabelecidas pelo tópico anterior, inicie a criação do Product Backlog com itens mais genéricos, em alto nível (podem ser épicos). Ordene os itens de forma a constituir uma versão inicial de Roadmap de Produto e se for adequado, pode ser feito um plano de lançamento das versão inicial do produto (Release Plan). 

Na sequência, inicie o refinamento dos itens mais prioritários do Product Backlog (que estão no topo da lista), quebrando-os em itens menores e detalhando suas funcionalidades e características do escopo desejado.

Tenha um bom relacionamento com o time

O Product Owner também deve investir seu tempo em estabelecer um relacionamento com sua equipe. É fundamental que, uma vez que os desenvolvedores irão construir o produto, a dinâmica de comunicação, negociação, troca de opiniões e feedback seja muito fluida. 

O Product Owner também é um membro do time e não pode se ausentar ou ser visto como inimigo da equipe. Uma atenção especial pode ser dada a BA, Designer, QA e o Scrum Master, pois terão uma proximidade maior do POs nas atividades do dia-a-dia.

Invista em treinamentos que irão alavancar sua atuação

A nossa última dica (mas não menos importante) para você que é um Product Owner recém chegado em um time, é investir em treinamentos e cursos que irão te auxiliar a assumir esse papel com êxito e, ainda, ter uma certificação internacional!

Estamos com vagas abertas para nosso treinamento Professional Scrum Product Owner, que irá acontecer de forma online e ao vivo. Ele é voltado para todos aqueles que buscam como trabalhar melhor com os Stakeholders, como gerenciar um backlog de sucesso e entre outras funções essenciais do PO.

Aproveite essa oportunidade e garanta sua participação! 

Se você é responsável pelo desenvolvimento de um produto digital e não acompanha métricas que realmente mostrem que essas entregas estão gerando valor, corre um grande risco de funcionalidades estarem sendo desenvolvidas, mas sem gerar conexão com o cliente e, consequentemente, sem benefícios para a organização.

Isso porque, no mercado competitivo que vivemos e que se transforma constantemente, com usuários que trocam suas preferências, “abandonam carrinhos” facilmente e compram produtos de acordo com seus reais desejos, ter dados relevantes sobre a satisfação do usuário é mais que essencial para o sucesso de uma iniciativa.

Com o objetivo de gerar valor definido, através das métricas adequadas, você irá conseguir identificar se o que o time está entregando, está surtindo um efeito positivo para o cliente e, assim, para a empresa.

“Nossa maior prioridade é satisfazer os clientes, através da entrega adiantada e contínua de software de valor.”

(Primeiro princípio do Manifesto Ágil)

Por isso, neste artigo, vamos apresentar algumas métricas que podem ser usadas por Product Owners ou até pelo time, na hora de avaliar os resultados de uma entrega e/ou produto digital.

Você também pode compreender melhor sobre essa estratégia neste vídeo do nosso canal. Clique aqui para assistir!

As principais métricas de valor para utilizar no seu time

Dentro das práticas ágeis, existem inúmeras métricas que podem ser utilizadas para mensurar os principais resultados. Neste conteúdo, vamos falar sobre as métricas que podem medir se a sua entrega está ou não sendo de valor para o usuário e/ou para a organização.

NPS (Net Promoter Score)

O Net Promoter Score ou NPS é uma métrica de satisfação do seu cliente com o produto que você entregou ou que está em processo de criação. Ou seja, o quanto ele indicaria a sua empresa a pessoas próximas, como um serviço valioso e de boa entrega, mostra o quanto ele está satisfeito com sua entrega de valor.

Quantidade de usuários ativos

Essa é uma das métricas mais fáceis de compreender, uma vez que, se a quantidade de pessoas ativas no produto/app for alta, significa que a entrega foi satisfatória e o valor atingido. Agora, se os números se mantêm iguais ou menores que antes, por exemplo, é preciso analisar o que foi feito, compreender onde foi o erro, ajustar e melhorar a entrega de valor do seu produto.

Faturamento

Essa é uma métrica a ser analisada após a sua solução já estar sendo utilizada pelo cliente. E isso é fácil compreender pelo simples fato de que, se o seu produto está gerando receita, quer dizer que você conseguiu realizar uma entrega de valor. Caso contrário, precisa haver uma análise detalhada, somada a outras métricas, para compreender o que está falhando para ser ajustado.

Para finalizar

Como falamos acima, o principal objetivo do time ao criar um produto digital é a geração de valor e, através das métricas, é possível conseguir mensurar se este objetivo está sendo entregue ou não. Por isso, é fundamental o Time Scrum saber se estão ou não entregando valor com o produto que estão produzindo para o seu cliente, assim como o Product Owner ou outros stakeholders.

Além disso, essas estratégias de acompanhar as entregas de valor podem ainda serem utilizadas para direcionar o Sprint Goal, Impact Map e User Story. Utilizando métricas adequadas de Produto, você conseguirá entregar muito mais valor aos seus clientes.

Vale ressaltar que, aqui na Agile School, temos um treinamento perfeito para você que quer evoluir a sua carreira de especialista em Produtos Digitais. O Professional Scrum Product Owner Advanced é um treinamento que ajuda profissionais experientes a expandir sua capacidade de estabelecer uma visão sólida, validar suas hipóteses e, por fim, agregar mais valor ao desenvolvimento de produtos.

O curso PSPO-A (oficial da Scrum.org) é direcionado a Product Owners que desejam aumentar seus conhecimentos e habilidades de forma avançada e prática. Clique aqui, saiba mais sobre esse treinamento e garanta sua vaga!

menu