Logo Agile SchoolLogo Agile School
Logo Agile SchoolLogo Agile School
0
R$0.00 0 item

Nenhum produto no carrinho.

Por: Rodrigo Pinto

Você já ouviu falar sobre o papel de um agilista? É comum pensar que ser um agilista é fácil: você não é gerente de ninguém, não é responsável pela entrega e não precisa ter uma faculdade ou conhecimento técnico específico, mas ganha um salário de 10k mensal. No entanto, essa é uma visão superficial do que realmente é ser um agilista! 

Recentemente, uma pessoa entrou em contato comigo no LinkedIn e disse que não esperava lidar com todas as questões que surgem dentro da equipe como agilista, o que me inspirou a escrever este artigo para falar sobre o que não te contaram dos desafios de assumir esse papel.

Vamos discutir a realidade desse cargo tão importante no mercado de trabalho atual e as habilidades necessárias para ser um agilista ou Scrum Master de sucesso.

A assimetria é um fenômeno presente em diversos mercados, inclusive no financeiro, em que um investimento de baixo risco pode gerar um retorno muito alto. No entanto, essa situação é temporária e tende a se equilibrar com o tempo. No mercado de agilidade, também há assimetrias, como a ideia equivocada de que para ser agilista não é necessário ter faculdade, conhecimento técnico ou responsabilidade pela entrega, mas ainda assim receber um salário de 10k ou mais por mês. 

Essa assimetria pode atrair muitas pessoas para a profissão, mas com o tempo, a tendência é que a simetria seja restaurada. É importante que as pessoas entendam a realidade do trabalho de um agilista e que estejam preparadas para lidar com as questões complexas que surgem na rotina da profissão.

Desmistificando a remuneração do Agilista

Muitas vezes, há uma compreensão equivocada de que o papel de Agilista é lucrativo e de fácil acesso, sem exigir responsabilidade sobre entrega ou mesmo formação acadêmica. No entanto, a remuneração desse profissional é variável e pode ir de R$ 4.000 a R$ 12.000 por mês, com uma média de cerca de R $8.500 de acordo com o Glass Door. É importante desfazer esse mito e demonstrar que a remuneração é influenciada por fatores como expertise, resultados e valor entregue ao cliente e à equipe.

O ônus e bônus de ser um Agilista

O papel exige habilidades específicas para resolver problemas e conflitos, além de ser capaz de mediar debates e gerenciar situações difíceis. Um Agilista deve ser capaz de remover impedimentos que afetam o desempenho do time, o que muitas vezes envolve trabalhar com times externos e lidar com situações complexas. 

Além disso, ele deve ser capaz de gerenciar conflitos internos na equipe, mediar debates de ideias e feedbacks. O papel do agilista no desenvolvimento ágil de software vai muito além de apenas seguir um processo. É preciso ter habilidades e competências específicas para lidar com as pressões e os desafios que surgem no dia a dia de um projeto ágil.

Gerenciamento de conflitos e pressão

A mentalidade de assimetria é prejudicial para o trabalho em equipe e pode gerar conflitos internos. Por isso, é importante que todos os membros da equipe tenham a formação e as habilidades necessárias para contribuir de forma significativa para o projeto.

Além disso, o agilista precisa estar preparado para lidar com pressões externas, como as dos gestores e stakeholders. Normalmente, estes procuram dar feedbacks e pressionar a equipe para cumprir prazos e metas. Nesses casos, o agilista precisa ter habilidades de comunicação e liderança para lidar com essas pressões e manter a equipe motivada e focada em seus objetivos.

Porém, é importante lembrar que a pressão e os prazos fazem parte do desenvolvimento ágil e que o agilista deve estar preparado para lidar com esses desafios. Afinal, a efetividade da equipe é sua responsabilidade e, para alcançá-la, é preciso saber lidar com as dificuldades que surgem ao longo do caminho.

Em resumo, ser um agilista requer muito mais do que seguir um processo. É preciso ter habilidades de liderança, comunicação e resolução de problemas para lidar com as pressões e os desafios que surgem durante o desenvolvimento ágil. Com essas competências, o agilista pode ajudar a equipe a alcançar seus objetivos de forma efetiva e colaborativa.

O papel do Scrum Master como líder dentro da equipe ágil

O Scrum Master é uma liderança dentro da equipe ágil e, como tal, deve dar o exemplo e agir de acordo com os valores e princípios do Agile. Isso significa ser responsável pelas entregas, pelo horário e pela organização do time. O Scrum Master não pode se dar ao luxo de chegar atrasado ou não cumprir com suas obrigações, pois isso compromete a efetividade do time e vai contra os ideais do Agile.

Assim, para ser um bom líder dentro da equipe, este Agilista deve chamar as pessoas para a responsabilidade, ser um exemplo de comportamento e estar disposto a lidar com a pressão e as dificuldades que surgem no contexto do desenvolvimento ágil. Além disso, é importante lembrar que a liderança não é uma posição de privilégio ou assimetria, mas sim de responsabilidade e comprometimento com o sucesso do time como um todo.

A importância do conhecimento técnico para o papel do Scrum Master

Muitas vezes se fala que para ser Scrum Master não é obrigatório ter formação superior ou conhecimento técnico em desenvolvimento de software. No entanto, isso não significa que o conhecimento técnico não seja importante ou que deva ser negligenciado. Na verdade, ele pode trazer grandes benefícios para o profissional e para a equipe.

Um Scrum Master que entende de desenvolvimento pode ajudar a equipe a lidar com desafios técnicos, a identificar possíveis melhorias no processo de desenvolvimento, a tomar decisões mais informadas e a compreender melhor as necessidades do produto. Além disso, o conhecimento técnico pode ajudar o Scrum Master a se comunicar melhor com os desenvolvedores, a compreender melhor as demandas do time e a ser um líder mais efetivo.

Por isso, é importante que o Scrum Master não negligencie o conhecimento técnico. Isso não significa que o profissional precisa ser um programador experiente, mas sim que ele deve ter uma boa compreensão do processo de desenvolvimento e das tecnologias envolvidas.

Além disso, o Scrum Master deve estar familiarizado com diversos conceitos e habilidades relacionados à agilidade e ao desenvolvimento de produtos, tais como ciclo de vida do produto, OKR, métricas de produto e de fluxo, gestão de portfólio, design thinking, negociação em startup, modelo de negócios, design organizacional, times de alta performance, feedback, soft skills, técnicas de retrospectiva, team building, e times remotos.

Portanto, embora não seja obrigatório ter conhecimento técnico para ser Scrum Master, investir em sua formação técnica e em habilidades relacionadas à agilidade pode ser um grande diferencial para o profissional e para a equipe que ele lidera.

Conclusão

Em conclusão, é importante lembrar que ser um Scrum Master ou um Agilista não significa apenas ter um título ou uma posição de liderança em um time. É necessário comprometimento, responsabilidade e conhecimento técnico para desempenhar bem essas funções. A dinâmica de crescimento de carreira como um Agilista envolve investimento constante em aprimoramento e aprendizado em diversas áreas, desde habilidades técnicas até soft skills e conhecimento em gestão de produtos. 

É possível sim ter uma boa remuneração e benefícios como um Agilista, mas é preciso estar ciente de que isso vem acompanhado de um grande investimento em si mesmo e em seu desenvolvimento profissional. Sair da dinâmica de assimetria do mercado de trabalho e se comprometer com um crescimento sustentável e consistente é o caminho para se destacar como um profissional de sucesso no mundo Ágil.

Portanto, se você quer se destacar no mercado de Agilidade e ter a chance de alavancar sua carreira, inscreva-se agora mesmo na nossa próxima turma do treinamento de Leading SAFe e aprenda mais sobre esse Framework e suas características para ser um Agilista completo e alinhado com as principais tendências de mercado. Clique aqui e saiba mais!

O papel do agilista é direcionar e apoiar a equipe ágil em direção a entrega de valor. Mas calma, tire da cabeça aquele estereótipo que ser líder é sobre dar ordens e gerenciar tarefas. A liderança na agilidade é sobre influenciar e potencializar pessoas para alcançar os objetivos gerais e também pessoais. 

Neste artigo, discutiremos algumas maneiras de se tornar um líder efetivo sob a ótica dos princípios ágeis e progredir em sua carreira agilista. Vem comigo!

Seja um modelo a ser seguido

Seja você um agilista ou postulante a agilista, é importante lembrar que sua equipe está observando suas ações e comportamentos. Se deseja uma equipe proativa, engajada e responsável, você precisa ser um exemplo disso.

Parece óbvio, mas certifique-se:

- Que suas ações estão alinhadas com os valores que deseja promover.

- Que você está fazendo o que espera que eles façam.

Se você quer que sua equipe seja pontual em suas entregas, você precisa ser pontual em suas reuniões e compromissos. Se você quer que sua equipe se comunique de forma clara e efetiva, você precisa mostrar como fazer. Se quer que eles sejam responsáveis e assumam seus erros, faça primeiro, seja o modelo.

Desenvolva um relacionamento com sua equipe

Liderança também é convivência. Para liderar efetivamente, você precisa conhecer cada um de forma individual e como eles preferem ser liderados. Isso ajudará você a entender como motivá-los e como lidar com desafios quando surgirem.

Além disso, construir um convívio forte com sua equipe ágil criará confiança e ajudará as pessoas a serem mais transparentes e verdadeiras. Colaboradores que não confiam nos líderes Agilistas vão esconder e até mentir sobre os acontecimentos.

Seja um facilitador

Como agilista, você não é o chefe/gerente da equipe, mas deve ser um líder facilitador. Sua função é ajudar a equipe a alcançar seus objetivos, removendo impedimentos e facilitando a comunicação entre eles e todos os envolvidos. Você deve estar disposto a ouvir as opiniões e perspectivas da equipe, garantir que todos estão sendo ouvidos e tomar decisões em conjunto.

Ao fazer isso, está promovendo um ambiente de trabalho colaborativo e inspirando a equipe ágil a se auto-organizar para alcançar suas metas.

Se comunique de forma clara

É importante comunicar os objetivos e expectativas da empresa quanto às pessoas de forma concreta. Certifique-se de que sua equipe entenda o que é esperado deles e que você esteja sempre disponível para responder a perguntas e esclarecer dúvidas. Além disso, garanta que sua equipe tenha as informações necessárias para realizar seu trabalho de forma efetiva. Isso inclui fornecer atualizações regulares sobre o progresso do produto/projeto e compartilhar informações relevantes com a equipe.

Seja um líder servidor

O conceito de liderança servidora foi criado por Robert Greenleaf na década de 1970. Ele acreditava que a liderança deveria ser vista como um serviço, com o líder colocando as necessidades da equipe em primeiro lugar. Mas tenha muita atenção. Para que isso funcione, você deve ter observado os outros passos acima.

O agilista que é um exemplo, desenvolveu um bom relacionamento com as pessoas e comunicou claramente os objetivos e expectativas. Ao ser um líder servidor, você está demonstrando que você se preocupa com o sucesso de sua equipe ágil. Não priorizando apenas o sucesso pessoal.

A equipe e não apenas com o sucesso pessoal. Isso ajudará a criar um ambiente de trabalho positivo e colaborativo, onde todos os membros da equipe se sentem valorizados e apoiados.

Se algo fugir ao controle, tome a frente

Esse ponto deve ser muito bem esclarecido. Algumas pessoas confundem as características do agilista de facilitador ou líder servidor com uma postura passiva e leniente. Nada poderia estar mais errado! O agilista assume a frente quando a auto-organização não funciona, seja no contato externo ou internamente na equipe.

A liberdade e autonomia servem a um propósito, mas não permita que isso seja mal usado pelas pessoas e leve a resultados indesejados. No fim do dia, o agilista permanece responsável pelo resultado final. Ou seja, não deixe as coisas saírem do controle, tome a frente.

Esteja disposto a aprender

Ser um líder efetivo não é algo que se aprende da noite para o dia, é um processo contínuo que contém erros e acertos. Seja humilde em Esteja disposto a aprender com suas falhas e a receber feedback da própria equipe. Busque oportunidades de desenvolvimento pessoal e profissional, como treinamentos e workshops.

E também esteja aberto a compartilhar e aprender com outros líderes e mentores em sua empresa, capítulo ou na comunidade de Agilistas. Liderar não é uma ciência exata, todos nós iremos errar, pode se acostumar com isso.

Conclusão

Na minha opinião, liderança é uma das habilidades mais fundamentais que o agilista pode ter. Não é uma tarefa simples, requer navegar na incerteza dos relacionamentos humanos.

Seja o exemplo e influencie a sua equipe. Portanto, não tenha medo de errar, pois isso é inerente ao processo de liderança. Se esforce para se tornar um mentor para sua equipe, compartilhe conhecimento e explore novas formas de desenvolver sua liderança para que você possa se tornar um líder melhor.

Seja sempre responsável por suas ações, não só por sua equipe, mas também por outros líderes e mentores. Seja um líder que inspira, que motiva, que enxerga oportunidades e que, acima de tudo, acredita no poder da colaboração. Rumo ao mais alto nível de responsabilidade, colaboração e efetividade na entrega de valor. Isso é ser um verdadeiro agilista.

E claro, se você quer aprender na prática cada uma dessas habilidades, não deixe de se inscrever em nossa turma de PAL-E. Garanta agora mesmo a sua vaga e não perca a oportunidade de alavancar sua carreira agilista!

menu