Logo Agile SchoolLogo Agile School
Logo Agile SchoolLogo Agile School
0
R$0.00 0 item

Nenhum produto no carrinho.

As 8 Instâncias do Scrum Master

 

Introdução

Segundo o Scrum Guide, o Scrum Master é o “responsável por promover e suportar o Scrum facilitando o entendimento de sua teoria, práticas, papéis e valores por todos na organização”.

Barry Overeem, a partir de suas experiências como Scrum Master e PST, escreveu um artigo em que fala sobre os diferentes papéis que o Scrum Master exerce em uma organização.

Ao longo de sua experiência ele observou que o Scrum Master exerce 8 diferentes instâncias: líder servidor, coach, facilitador, professor, mentor, gestor, removedor de impedimentos e agente de mudança.

Abaixo, um resumo sobre como ele descreve cada um desses papéis.

Líder Servidor

Esse é o pilar para os demais papéis do Scrum Master. Ser um líder servidor, é servir o time através da colaboração e empatia, promovendo a mudança do indivíduo, do time e finalmente da organização. Não é sobre servir a você, mas servir aos outros. Nutrir uma cultura que perdure, mesmo que você não esteja presente. Ajudar as pessoas a dar o seu melhor. Promover o empoderamento e auto-organização da equipe.

O Scrum Guide descreve o Scrum Master como um líder-servidor para o Scrum Team. Mas o Scrum Master não é o mestre do time, aquele que tudo sabe ou detém autoridade sobre o time. Mas sim um mestre capaz de encorajar o time de modo a facilitá-lo a alcançar todo o seu potencial contribuindo assim a cumprir os objetivos alinhados com o negócio. 

Coach

O Scrum Master é considerado um coach para o time ajudando-o a fazer o seu melhor para alcançar o objetivo da Sprint. Ele atua sob 3 perspectivas: Indivíduo, Time e Organização. Com o indivíduo, promovendo a mudança do mindset e comportamento, com o time, buscando a melhoria contínua e com a organização, colaborando verdadeiramente com os times Scrum.

Coach do Indivíduo

  • Explicar o comportamento e o mindset desejados. Ajudar os indivíduos a ver novas perspectivas e possibilidades.
  • Influenciar os membros do time a usar bem o Scrum.
  • Ajudar o indivíduo a atingir o próximo passo na sua jornada ágil.

Coach do Time

  • Estimular o time na melhoria contínua criando uma cultura de aprendizado.
  • Ajudar o time na resolução de problemas e conflitos.
  • Ensinar o time a desenvolver a aprendizagem colaborativa (aprender a aprender com o outro).
  • Mudar a atitude e o comportamento que impedem o time a executar o Scrum.
  • Ensinar o time a cultura de feedback uns aos outros.

Coach da Organização

  • Ajudar a organização a alcançar resultados surpreendentes entregando produtos de alta qualidade e valor.
  • Ensinar a organização a gerenciar entrega contínua de produto.
  • Suportar e encorajar a colaboração e cooperação com os times Scrum.

Facilitador

O Scrum Master deve facilitar os eventos do Scrum de modo que o time entenda-os e busque atingir seus propósitos:

  • Sprint: Entregar um incremento pronto ao final da Sprint.
  • Daily: Inspecionar o progresso do time em direção ao objetivo da Sprint.
  • Sprint Planning: Discutir e planejar as atividades necessárias para atingir o objetivo e estratégia do PO.
  • Sprint Review: Demonstrar e inspecionar o incremento desenvolvido bem como adaptar o backlog.
  • Sprint Retrospective: Inspecionar e adaptar as práticas e processos do time.

Mais que isso, o Scrum Master é alguém que ajuda o restante do Time Scrum (PO e Dev Team) a entender e atingir seus objetivos promovendo a colaboração, otimizando seus processos e criando sinergia dentro do time, não apenas sendo o responsável pelos eventos do Scrum.

Professor

O Scrum Master atua como professor ensinando e garantindo que as práticas e regras do Scrum estão sendo compreendidas pelo time. O Scrum Master deve ensinar o time sobre o que é o mindset Ágil. O que é Scrum, XP, Kanban…

Ensinar sobre as boas práticas do Scrum pautadas nos 3 pilares (Inspeção, Adaptação e Transparência) e nos 5 valores (Comprometimento, Coragem, Foco, Abertura e Respeito).

Ensinar sobre criar e manter uma identidade compartilhada que deveria funcionar como um manifesto para o time. Boas práticas e atitudes que um bom time deve ter.

Ensinar sobre a importância de se ter uma visão de produto compartilhada e entendida por todo o time, para que o time possa tomar as decisões corretas quando estiver construindo o produto.

Ensinar sobre auto-organização, ou seja, como o time pode atuar para que juntos possam atingir o objetivo. Ter as habilidades necessárias e empoderamento para tomar as melhores decisões.

Ensinar quais são os papéis do Time Scrum, suas responsabilidades e interações.

Ensinar sobre o que são impedimentos: tudo aquilo que impede o time a alcançar seus objetivos e não pode ser resolvido por ele.

Se o próprio time pode resolver, então, não é um impedimento.

Ensinar sobre a importância de ter uma visão clara e compartilhada do progresso do time durante a sprint.

Ensinar o PO a criar e ordenar o backlog baseado em: prioridade, risco, valor e dependências e envolver todo o time scrum na manutenção do mesmo.

Contudo, é necessário entender que o Scrum Master, por melhor que seja, não conseguirá ensinar todo o time de uma única vez. Falhar, é parte do processo de todo o Time e uma oportunidade para aprender com seus próprios erros.

Mentor

O Scrum Master atua como mentor quando traz suas experiências e conhecimentos sobre agilidade para o time. A medida que o time absorve os conceitos do Scrum, ele passa a questionar seus valores, pilares, práticas e busca adequá-los de forma que fique menos mecânico e mais orgânico.

Essa maturidade exige mentoria do Scrum Master para melhor aconselhar o time diante dos novos desafios.

Gestor

Em organizações ágeis a gestão é feita de forma “horizontal”, onde não existe subordinação por parte do restante do time.

O trabalho é realizado tendo o cliente como fim, ou seja, o objetivo do time é entregar valor para o cliente. O time tem o controle do seu trabalho, sendo responsável por fazer sua própria gestão. Diferentemente de organizações tradicionais, onde a gestão é feita de forma “vertical”, ou seja, “Top-Down”, voltada para uma atuação de comando controle, onde os times não são auto organizáveis. Em organizações tradicionais, o valor não é orientado a cliente, todo o trabalho é voltado para quem “manda mais”, geralmente, quem tem o maior salário da empresa.

O Scrum Master atua como gestor da seguinte forma:

  • Realizando a gestão de impedimentos e eliminando desperdícios que vão além da capacidade de auto-organização do time de desenvolvimento.
  • Fazendo a gestão dos eventos Scrum, garantindo que seu propósito está sendo atendido de forma efetiva e que o time e a organização veem valor.
  • Gerenciando a saúde do time, garantindo que a comunicação entre os membros está fluindo.

Removedor de Impedimentos

No Scrum, impedimentos são definidos como:

  • Fator que impede o time de desenvolvimento em criar um incremento de valor;
  • Algo que não pode ser resolvido pelo time, ou seja, está além da auto-organização do time;
  • Qualquer evento que impede os desenvolvedores de realizarem seu trabalho para atingir ao objetivo da sprint;

Como removedor de impedimentos, o Scrum Master deve ter em mente que:

  • Impedimento é aquilo que o time não consegue resolver;
  • Se tal impedimento realmente precisa ser solucionado;
  • Qual o problema que se quer solucionar removendo tal impedimento.

O Scrum Master deve assegurar que os impedimentos são levantados tão logo surgiram e que o time não deve esperar para discuti-lo somente na daily. Uma maneira de dar transparência a isso, é criando um “Quadro de Impedimentos” que pode ser visualizado por todos.

A fim de evitar que impedimentos surjam com frequência, o Scrum Master deve entender como a organização está estruturada e encontrar meios de evitá-los.

Agente de Mudança

O agente de mudança é aquele que estimula a mudança, não apenas do time, mas no nível organizacional.

Uma organização que está buscando promover uma cultura ágil deve permitir que a agilidade possa fluir de modo que, os valores do time estejam acima dos valores individuais, contribuindo para um ambiente em que todos sejam responsabilizados e se cobrem por isso, promovendo a melhoria contínua e a experimentação (“Fail Fast Learn Faster”) tendo em vista que o cliente é o principal fator de sucesso do produto, ou seja, ele precisa estar no centro, ser o objetivo da mudança. “Quais são as dores do cliente? Quais são os desejos e necessidades do cliente? O que é valor para o cliente e como o entregamos de forma rápida?” essas são algumas perguntas que devem ser o caminho para a mudança.

Além disso, uma organização ágil deve ter em mente que, o planejamento contínuo é mais importante que seguir um plano de ação e que o time responsável por isso, deve ser multifuncional e se manter estável, de modo a melhorar continuamente sua performance, confiança, responsabilidade e auto-organização.

A comunicação e a confiança, devem ser os pilares de uma organização ágil, de modo a diminuir a burocracia com documentação exaustiva e processos engessados, uma vez que o valor do produto é mais importante que projetos sem propósito, que não irão resolver o problema do usuário final.

O Scrum Master atua como agente de mudança criando um ambiente em que a cultura ágil possa fluir, buscando sempre como melhorar a produtividade do time, ajudando no planejamento da implementação do Scrum dentro da organização e no entendimento do processo empírico junto aos stakeholders.

Conclusão

A fronteira das 8 instâncias por vezes se misturam. Não existe uma ordem certa  de aplicação entre elas.

Cabe ao Scrum Master, de acordo com sua experiência, saber qual o momento correto para executá-las de acordo com a situação vivida pelo time e pela organização.

 

Autor: Filipe Machado

menu